Resenha | Em algum lugar nas estrelas, de Clare Vanderpool

terça-feira, fevereiro 21, 2017


Duas crianças, uma grande amizade, perdas, solidão e aventuras. Olhando assim pode até parecer palavras soltas que não fazem sentido algum, mas misture tudo isso e acrescente uma trilha sonora impecável com direito a Billie Holiday e Frank Sinatra; o resultado será o romance Em Algum Lugar nas Estrelas, um dos melhores livros que já li na minha vida.
"O que é mais importante: a alma ou a mente? Somos responsáveis uns pelos outros ou só por nós mesmos? Existe essa coisa chamada mistério ou apenas aquilo que ainda não é compreendido?"

A história começa bem simples, como quem não quer nada, e quando você menos espera, está imerso nas palavras aprendendo sobre constelações, cascavéis e teorias sobre o número PI. Ambientada por volta de 1940 no Maine, período pós-Segunda Guerra Mundial, a narrativa é na voz de Jack - um garoto que perdeu a mãe, tenta superar medos e traumas e faz uma amizade improvável com Early Auden. Early é autista, tem uma personalidade incrível, eu diria mágica até, vê cor e textura nos números e tem uma trilha sonora específica para cada dia da semana. Ele é tão sensível, tão puro, tão inocente... Eu fui tomada pela vontade de abracá-lo a cada página.
“Às vezes, é melhor não ver todo o caminho que se estende diante de você. Deixe a vida surpreendê-lo, Jackie. Há mais estrelas por aí do que as que já têm nome. E todas são lindas.”
Convencido de que o número PI (3,14... até o infinito) narra uma história com pessoas reais, Early convida Jack para procurar PI e juntos partem numa jornada de barco pelas águas doces do Maine seguindo as estrelas, guiados pela Ursa Maior.

“Os que quase se deixam consumir pela caçada, os desesperados, digamos, por aquilo que acham que procuram, normalmente estão bem longe do que de fato estão procurando. É verdade, também, que às vezes eles não estão procurando nada, mas fugindo de alguma coisa.”
Terminei a leitura e abracei o livro. Passei alguns minutos assim, tomada pela vontade de abraçar também os personagens. Clare Vanderpool me apresentou uma escrita deliciosa, leve, apaixonante, simples e completa. Em Algum Lugar nas Estrelas é uma história que fica com a gente mesmo depois de virar a última página.
"Ninguém pode dizer nada sobre o nome das estrelas. O céu não é um campeonato ou uma prova. A única pergunta é: você consegue olhar para cima? Absorver tudo aquilo? Quanto ao nome das constelações, ela não são meio nem fim. As estrelas não estão presas umas às outras. Estão lá para serem admiradas. Olhadas, desfrutadas. É como pescar com vara. Pescar com vara não é sobre pegar o peixe. É aproveitar a água, a brisa, os peixes nadando à sua volta. Se pegar um, ótimo. Se não... melhor ainda. Significa que você pode voltar e tentar de novo!"
 - Para ver mais detalhes da edição e imagens do livro: clique aqui
 - Trilha sonora: clique aqui
NOTA: 5/5+ | ADICIONE AO SKOOB | COMPRE

Sinopse: Em algum lugar nas estrelas é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai... bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine (o mesmo estado onde vivem Stephen King e boa parte de seus personagens). O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden. Early, um nome que poderia ser traduzido como precoce, é uma descrição muito adequada para um prodígio como ele, que decifra casas decimais do número Pi como se lesse uma odisseia. Mas, por trás de sua genialidade, há uma enorme dificuldade de se relacionar com o mundo e de lidar com seus sentimentos e com as pessoas ao seu redor. Em Algum Lugar nas Estrelas é uma daquelas grandes histórias que permanecem com você por muito tempo, perfeita para ler entre amigos ou passar de pai para filho. Tudo que é real pode ser uma grande fantasia ou uma coincidência inevitável. Somos muito mais que um simples desejo do acaso. Nossos caminhos vão se cruzar no primeiro semestre de 2016 nesta obra premiada com o Printz Honow Award em 2016, indicada a outra dezena de prêmios e eleita o livro do ano em dezenas de listas preparadas pelos leitores.
 Bjs e até a próxima. <3

Você pode gostar também

4 comentários

  1. Jesssssss! Tudo bom?
    MEU DEUS ESSE LIVRO É LINDO *O* EU AMO DEMAIS A CAPA DELE! Porém acredita que nunca li nada da Darkside, pois é, pois é, mana! Preciso urgentemente! E "Em algum lugar nas Estrelas" está na minha lista (infinita) de desejados faz um bom tempo! Adorei sua resenha e as fotos ficaram lindas! <3

    Beijos,
    @justificou

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luuuuu, tudo bom, querido <3
      Esse livro é incrível, viu? Se vc ler, não vai se arrepender. Tenho certeza! Bjo!

      Excluir
  2. Quero ler esse livro ainda esse mês *_* <3
    Ele é lindo, né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuuu, leia mesmo! Espero que ame. Ele é maravilhoso <3

      Excluir

Sua opinião é muito importante para mim. <3
Volte sempre!